Alma Palestrina

Alma PalestrinaImagine um jogador de futebol que também teve sucesso na prática do atletismo, do vôlei, do basquete e do tênis de mesa, sempre defendendo as cores de um mesmo clube. E mais, depois de tudo isso se tornou árbitro, tendo sido convidado para apitar a partida inaugural do Estádio do Pacaembu. Conhece alguém com esse perfil? Talvez para os tempos atuais seja inimaginável uma pessoa conseguir essa proeza, mas a torcida do Verdão pode se orgulhar de ter tido um esportista assim presente em sua história.

Trata-se de Ettore Marcelino Domingues, ou só Heitor, como ficou conhecido pelos torcedores, maior artilheiro de todos os tempos do Palmeiras, com 327 gols. Foi o primeiro grande ídolo do time, nas décadas de 1920 e 30, quando o time ainda se chamava Palestra Itália.

Mas apesar de tantos feitos, o nome ainda é desconhecido por grande parte da massa palestrina. Heitor viveu em um período no qual a cobertura esportiva ainda era incipiente, razão pela qual há poucos registros sobre sua história, apesar de ter-se eternizado no coração de um povo. Com o objetivo de preservar essa memória, o fanático palmeirense Fernando Galuppo publicou “Alma Palestrina”.

Mais do que uma biografia do genial Heitor, “Alma Palestrina” é uma forma de gratidão a quem começou uma história gloriosa nos gramados do mundo inteiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *