Entrevista com Eduardo Brocchi

Eduardo BrocchiEngenheiro formado pela PUC-Rio, Eduardo Brocchi fez Mestrado também na PUC e após a conclusão do Doutorado na Inglaterra, retornou ao Brasil para ser professor da PUC-Rio e trabalhar, desde então, com ensino e pesquisa. Para cumprir uma promessa, terminou as apurações do pai Antonio Brocchi e publicou o livro Uma concisa história do Flamengo.

Quando surgiu o interesse em escrever um livro sobre futebol visto que a sua área de atuação é bem distinta?

O meu pai escreveu dois livros (um romance político relacionado com a revolução de 1964 e um de crônicas relacionadas com o comportamento humano) e estava escrevendo um terceiro sobre a história do Flamengo, quando faleceu. O velório foi no clube, pois ele era Grande Benemérito, e nesta ocasião me comprometi, de público, que iria concluir o livro.

Como você elaborou toda pesquisa do livro? A internet ajudou no processo?

Outros livros e a própria memória. Mas, sim, a internet ajudou muito.

Qual a maior dificuldade que você encontrou?

No meu caso foi a “montagem” do livro. Devo isso a brilhante Regina Ferraz que inclusive elaborou a capa. A edição pela Maquinária foi relativamente fácil pois estava quase tudo pronto.

Além do Uma concisa história do Flamengo, você publicou outros livros?

Eu, não. Meu pai, sim, como já, brevemente, comentados acima.

Como você vê o mercado editorial brasileiro para os livros esportivos?

Intuitivamente eu diria que é um mercado que desperta curiosidade das pessoas que, normalmente, são interessadas em algum esporte ou torcedoras de algum clube.

Você acha que ainda existe preconceito em relação aos livros esportivos?

Não sei, mas acho que não! Trata-se apenas de um segmento que foca mais na informação do que nas reflexões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *