O trauma da bola

O trauma da bolaEm 14 de junho de 1982, o Brasil estreou na Copa do Mundo da Espanha, derrotando a União Soviética. Pelos 21 dias seguintes, jogando grande futebol, derrubaria também a Escócia, a Nova Zelândia e a Argentina.

O país vivia em estado de graça. Com Zico, Falcão, Sócrates, Cerezo e Júnior – a mais brilhante geração brasileira desde a de Pelé e Garrincha -, a Seleção parecia invencível. E, então, veio o jogo contra a Itália, no dia 5 de julho, em Barcelona. Perdemos. O Brasil voltou para casa – para uma casa habitada por 120 milhões de torcedores atônitos com o desastre. Um trauma da bola nacional.

Mas, na Espanha, mesmo durante as vitórias, um homem não se cansava de denunciar os erros da preparação, as teimosias do treinador e a possibilidade de uma decepção: João Saldanha.

Muitos anos depois, os artigos de Saldanha foram resgatados, formando o livro O trauma da bola, um revelador diário sobre uma Copa que os brasileiros jamais conseguirão esquecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *